A alavancagem financeira é uma estratégia amplamente utilizada pelos investidores que desejam potencializar os rendimentos aplicando recursos de terceiros.

Embora represente uma oportunidade sem igual de multiplicar os ganhos, a alavancagem é uma manobra arriscada. Por essa razão, ela não deve ser usada de modo indiscriminado, e é mais indicada para investidores com experiência no mercado financeiro e perfil mais arrojado/agressivo.

Neste post, vamos explicar o que é e como funciona a alavancagem financeira em todas as suas modalidades e quais são os benefícios e riscos de se operar alavancado. Acompanhe!

O que é alavancagem financeira?

Uma maneira simples de explicar o conceito de alavancagem financeira é fazendo uma analogia com um empréstimo. Trata-se de um mecanismo em que o investidor “toma emprestados” os recursos de terceiros (um banco ou uma corretora) para fazer transações financeiras.

A alavancagem é adotada como forma de “turbinar” a rentabilidade por meio do endividamento. Assim, a instituição financeira concede um crédito ao investidor, que, por sua vez, o aloca em suas aplicações financeiras. O objetivo da técnica é possibilitar que se invista um valor maior do que se tem disponível.

Da mesma forma que uma alavanca serve para ampliar a força exercida sobre um objeto para movê-lo, a alavancagem financeira serve para aumentar o aporte feito num determinado investimento e, consequentemente, as chances de um bom retorno. 

Afinal, investindo mais, há a probabilidade de ganhar mais. Daí surgiu o conceito de operar alavancado.

Como funciona a alavancagem financeira?

A alavancagem financeira funciona como uma operação de crédito. A maioria das corretoras de valores oferecem esse serviço em suas plataformas de home broker. Para isso, costumam exigir uma garantia em dinheiro ou outros ativos.

Quando o investidor deseja realizar uma operação, mas não tem liquidez suficiente para tanto, pode utilizar esse capital extra disponibilizado pela corretora para aumentar a margem de lucro. A contrapartida é devolver o dinheiro dentro do prazo, sob pena de juros caso o compromisso não seja cumprido.

Vale lembrar, porém, que existe um limite de alavancagem, ou seja, um valor máximo definido pela corretora para operações com recursos de terceiros. Em geral, as instituições permitem movimentar até 20 vezes mais do que o dinheiro disponível na conta.

Como calcular a alavancagem financeira?

Existem diversas fórmulas para calcular a alavancagem. No que diz respeito aos investimentos, é importante entender como acontece o processo de aporte financeiro e a realização da aplicação.

Vamos supor que o investidor tenha R$ 10 mil em conta e o limite de alavancagem estipulado pela corretora é até 20 vezes a quantia disponível. Nesse caso, ele contará com R$ 200 mil para aplicar nos ativos escolhidos.

Assim, se o ativo em que ele investir se valorizar em 1%, o lucro da operação será de R$ 2000. Já se o preço cair em 2%, o prejuízo será de R$ 4000. Nesse caso hipotético, seria necessário dividir o valor da garantia do investimento pelo valor da margem de cada contrato para calcular a alavancagem.

Quais são os tipos de alavancagem financeira que existem?

Existem vários tipos de alavancagem financeira, que atendem a objetivos distintos. Confira, a seguir, algumas modalidades de investimentos em que se pode operar alavancado:

Day trade

Nas operações de day trade, o investidor persegue o objetivo de lucrar ao máximo no curtíssimo prazo, num mesmo pregão. Para tanto, realiza diversas transações para ganhar com as oscilações de preços das ações.

A alavancagem financeira faz sentido nesse contexto, pois permite que se invista um valor maior nos ativos, transformando essas pequenas flutuações de preço diárias em rendimentos mais significativos.

Short selling

As operações de short selling, também chamadas de “venda a descoberto”, visam a trazer lucros com a queda de preço de um determinado ativo. Em última análise, trata-se de vender ativos que o investidor não tem na carteira.

Isso pode ser feito por meio do aluguel de ações: o investidor aluga os papéis que, sua previsão, tendem a se desvalorizar, e as vende pelo valor atual.

Quando o preço cai, ele aproveita para recomprar as ações mais barato e devolvê-las ao usuário de quem alugou. Assim, o investidor consegue obter um ganho financeiro com a diferença de preço.

Mercado futuro

Nessa modalidade de investimento, negociam-se contratos futuros de moedas estrangeiras (como os contratos de dólar), commodities ou índices, e não ações de empresas. O objetivo é lucrar a partir da valorização ou da desvalorização desses ativos numa data futura.

Porém, nas negociações de contratos futuros, as corretoras exigem uma margem de garantia do investidor. Em geral, ela é equivalente a uma parcela do valor do contrato.

Fundos de investimentos

Também é possível usar a alavancagem financeira para investir em fundos de investimentos. Nesse caso, opera-se com um saldo superior ao patrimônio do fundo por meio de empréstimos.

Ao operar alavancado, o gestor do fundo de investimento consegue elaborar estratégias mais arrojadas e aumentar o potencial de retorno.

Quais são as vantagens de operar alavancado?

A alavancagem financeira costuma fazer os olhos dos investidores brilharem! Afinal, é uma estratégia muito promissora, com potencial de lucro rápido. Algumas das vantagens de operar alavancado são:

  • chance de obter excelentes resultados, mesmo sem dispor de muito capital para investir;
  • permissão para acessar operações de grande volume financeiro que, sem a alavancagem, só está disponível a grandes investidores;
  • oportunidade de multiplicar os ganhos no curto prazo;
  • possibilidade de alcançar uma margem de lucro que seria inviável somente com o capital disponível.

Antes de arriscar a alavancagem, contudo, é importante já ter um bom volume de investimentos de longo prazo e uma carteira bastante diversificada. Isso vai compensar eventuais prejuízos e ajudar a minimizar os danos.

Além disso, o investidor que pretende operar alavancado deve ter o equilíbrio emocional necessário para lidar com o alto risco e estar preparado para assumir prejuízos eventualmente. É justamente dos riscos que trataremos a seguir.

E os riscos envolvidos?

Mesmo com todas as vantagens, a alavancagem não deve ser encarada como uma promessa de dinheiro fácil. Na verdade, ela é uma estratégia arriscada, que tanto pode multiplicar os ganhos quanto as perdas.

O principal risco é que os ativos não se valorizem dentro do prazo previsto. Ou, pior, sofram uma queda brusca. O mercado financeiro não é 100% previsível, portanto, a operação planejada pode não funcionar e não render nenhum lucro.

Mesmo que a operação não seja bem-sucedida, é preciso ressarcir a corretora. Isso gera prejuízos e, na pior das hipóteses, pode levar ao endividamento ou à perda total do patrimônio.

Como reduzir os riscos da alavancagem financeira?

Já que falamos dos riscos envolvidos na alavancagem financeira, é importante listamos algumas formas de se precaver contra eles.

A principal maneira de prevenir os riscos da alavancagem é conhecer bem o mercado financeiro e entender como essa estratégia funciona. 

Como dissemos desde o início, a alavancagem financeira não é uma técnica que deve ser usada por iniciantes, sobretudo se você não tiver um profissional lhe prestando assessoria financeira.

Também é fundamental estudar o cenário. Ter uma boa visão da situação do mercado atual dá mais segurança para tomar decisões bem fundamentadas e com maiores chances de sucesso. Use dados do mercado e análises, mas nunca invista tendo apenas a intuição como guia.

Outro ponto importante: é preciso ter uma estratégia bem arquitetada. Saiba exatamente quanto você pode investir, em que ativos vale mais a pena operar alavancado e quais são as chances de obter êxito.

Contenção de danos

Você precisa, ainda, considerar a possibilidade de perder dinheiro caso o investimento não tenha os resultados esperados. Portanto, defina o percentual que você pode arriscar, para evitar um prejuízo maior do que o previsto.

Além disso, as corretoras contam com a ferramenta de “stop loss”, que serve para limitar o prejuízo. Ela automaticamente encerra as posições assim que se atinge o limite de perda determinado pelos investidos.

Considere, ainda, contar com uma assessoria de investimentos para te ajudar a tomar as melhores decisões. Assim, você conseguirá investir de forma mais certeira, com menos chances de perder dinheiro.

Vale a pena operar alavancado?

Finalmente, vamos tentar responder à pergunta de milhões: vale a pena operar alavancado? E a resposta é: depende! 

A prática compensa para investidores já experientes, com uma bagagem sólida no mercado financeiro e conhecimento suficiente para lidar com as oscilações e mudanças de cenário.

Ou seja, se você estudou o mercado, entende como esse tipo de operação funciona e tem um perfil mais agressivo, a alavancagem pode ser uma estratégia muito interessante.

Antes de entrar nessa jornada, é importante ter recursos suficientes para devolver o dinheiro emprestado e ainda obter lucro. 

Além disso, é necessário considerar o seu perfil de investidor e os objetivos do investimento para descobrir o momento ideal de apostar na alavancagem financeira.

Não se esqueça também de que a alavancagem financeira só deve ser realizada por investidores que já têm uma reserva de emergência e uma carteira de investimentos variada e sólida.

Como se manter em dia com as notícias sobre o mercado financeiro?

Ao longo deste artigo, explicamos o que é a alavancagem financeira, como funciona, para quem é e para quem não é essa estratégia e quais são as vantagens de adotá-la. Abordamos também os riscos envolvidos na alavancagem e algumas maneiras de contorná-los.

Por mais que seja uma estratégia vantajosa e com um alto potencial de gerar retornos no curto prazo, a alavancagem financeira não deve ser usada por investidores iniciantes ou com pouca experiência. Antes de partir para essa prática, é necessário estudar a fundo o mercado financeiro e acompanhar as tendências.

E a maneira mais fácil de acompanhar as notícias do mercado é acessar os canais do blog Melhor Investimento! Além das postagens fresquinhas que postamos no blog, também criamos conteúdo para o Instagram e o Facebook. Acompanhe-nos em nossas mídias sociais e fique por dentro do mundo dos investimentos!

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.